terça-feira, 29 de maio de 2012

Não vejo mais…

Doug Wade Zinn


























Não vejo mais sentido
Naquilo que tenho sentido.
Não flutuo em águas rasas.
Mergulho.
A escuridão e o peso do oceano
Me fascinam e apavoram.
Até onde posso ir?
E se eu não souber como voltar?
Não há farol que me guie.
Não há razões.
A profundeza do oceano é meu abrigo.
Seguro e solitário.
Abissal sem fim.


Cláudia Marczak


segunda-feira, 28 de maio de 2012

One look

The eyes are one of the most powerful tools a woman can have. With one look, she can relay the most intimate message. After the connection is made, words cease to exist.

Jennifer Salaiz

If, de Lindsay Anderson, 1968

quinta-feira, 24 de maio de 2012

Tired

You are tired,
(I think)
Of the always puzzle of living and doing;
And so am I.

Come with me, then,
And we'll leave it far and far away -
(Only you and I, understand!)

You have played,
(I think)
And broke the toys you were fondest of,
And are a little tired now;
Tired of things that break, and - 
Just tired.
So am I.

But I come with a dream in my eyes tonight,
And I knock with a rose at the hopeless gate of your heart - 
Open to me!
For I will show you the places Nobody knows,
And, if you like,
The perfect places of Sleep.

ee cummings


Asas do Desejo, de Wim Wenders, 1987

quarta-feira, 16 de maio de 2012

Mistério

Eu estou em ti quando me esqueces.
E tu em mim, gota no cálice,
Quando adormeces sossegada...

Quando adormeces, sossegada,
O teu olhar vai nos meus olhos
Poisar em tudo que não vejo...

E quando sonhas (nunca o saibas!)
Sou eu que volto à minha infância
Que dorme em ti - gota no cálice...


Cristovam Pavia (1933-1968)



The Fall - Frankie Rose

terça-feira, 15 de maio de 2012

domingo, 13 de maio de 2012

quinta-feira, 10 de maio de 2012

Impossível descrição

Entre as vigas duma sala,
ou entre o céu e a terra?

A dimensão que me encerra,
nunca sei qualificá-la.

Sei que, por vezes, me ausento
para algum furtivo mal:
inseguro pedestal
onde, aos poucos, eu me invento.

E se cada espelho me retrata
duma forma diferente,
não me levem a nenhum psiquiatra;
que eu não estou doente
nem preciso da droga que me trata.

Se é esse o problema,
não é essa a solução.
Nem me levem ao cinema,
apenas porque estou triste.
Este mal do coração
sempre persiste
e insiste.

Este mal do coração!
Isto que sinto antes de sentir dor...
Esta pré-dorida sensação
de cesuras, ritmo, rima,
música, dança, folclore...
e esta fúria suprema
do momento criador.

Entre as vigas duma sala,
ou entre o céu e a terra?

A dimensão que me encerra,
nunca sei qualificá-la.


Outubro de 1953

Fernanda Botelho
In As Folhas de Poesia Távola Redonda, Boletim Cultural VI Série Nº11 Outubro de 1988, Fundação Calouste Gulbenkian










quarta-feira, 9 de maio de 2012

Into the night

















Erwin Blumenfeld, Minor Spotlight, NY c. 1955


The eye is always caught by light, but shadows have more to say.

Gregory Macguire


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...