domingo, 22 de abril de 2012

Intermédio

Alguém que se ignora
Passeia a sua mágoa
Lá pela noite fora.

Já sem saber se existe,
Entre silêncio e treva,
Nem alegre nem triste,
Alguém que a própria sorte
Enjeita, vai absorto
Num sonho que é a morte
E é vida - sendo morto.

Luís Amaro


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...